PROGRAMAÇÃO 2012

SESSÕES DIÁRIAS às 17h e 19h | Sala Alexandre Robatto | Entrada Franca

23/03- Sessão temática Vulva la Vida

Vulva la Vida, Vida Lá Vou Eu. Direção: Coletivo Vulva La Vida. Edição: Nivia Reis. Ano: 2011. Duração: 17 min.

“Vulva la Vida, Vida Lá Vou Eu” é um documentário que resgata a experiência da primeira edição do Vulva La Vida – um festival de contracultura feminista – que aconteceu em Salvador (BA), entre 19 e 23 de janeiro de 2011 e abarcou shows, oficinas, e debates voltados para a construção de valores e práticas anti-sexistas e o fortalecimento da solidariedade feminista. O documentário conta com falas de organizadoras e participantes do festival, que compartilham suas leituras sobre o evento, enfatizando desde o processo de construção desse festival, até avaliações sobre a repercussão do mesmo, que de forma autônoma e independente conseguiu atrair mulheres tanto da Bahia quanto de outros estados. Também são apresentadas imagens de atividades que ocorreram nesses intensos cinco dias, incluindo trechos dos shows.

+ outros vídeos relacionados ao Festival Vulva la Vida.

24/03- Sessão temática Riot Grrrl I

 Girls Rock! De Arne Johnson e Shane King. EUA, 2007. 90min. Legendas em português.

“Girls Rock” é um documentário sobre o Rock ‘n’ Roll Camp For Girls, uma organização norte-americana que proporciona uma espécie de acampamento do rock para meninas de 8 a 18 anos. O filme registra o dia a dia de voluntárias e participantes durante o oficinas de guitarra, bateria e outros instrumentos.
No Rock ‘n’ Roll Camp, meninas na faixa etária de oito a 18 anos aprendem que “é 100% certo ser exatamente quem você é. ” As meninas têm uma semana para selecionar uma banda, um instrumento que elas podem nunca ter tocado antes, e escrever uma canção. Nesse meio tempo, elas são ensinados por garotas como Carrie Brownstein do Sleater-Kinney. No final da semana, todas as bandas realizam um show para mais de 700 pessoas.

25/03- Sessão temática Riot Grrrl II

 Don’t Need You. De Kerri Koch. EUA, 2005. 40min. Legendas em português.

“Don’t Need You” é um documentário que conta a história das origens do Riot Grrrl no cenário da música independente norte-americana da década de 1990, e como esse movimento feminista evoluiu para uma rede underground de educação revolucionário e auto-conhecimento através da música , da escrita, do ativismo e da comunidade favorável às mulheres (women-friendly). O filme proporciona ao público a oportunidade de conhecer figuras-chave ao desenvolvimento do Riot Grrrl e ver por si mesmo como essas mulheres mudaram a história da música e do feminismo pra sempre. O filme apresenta entrevistas individuais intercalados com raros materiais de arquivo, incluindo fanzines Riot Grrrl originais, folhetos e fotografias, bem como imagens raramente vistas de bandas pioneiras como Bikini Kill, Heavens to Betsy, e Bratmobile.

26/03- Sessão temática Riot Grrrl III

Ladyfilmine. De Giulia Vallicelli. ITA, 2010. 30min. Legendas em português.

Trata-se de um pequeno documentário experimental sobre o evento feminista Ladyfest Roma, que em 2010 completou 10 anos de festival de música independente, política e artes com foco em feminismo e política queer. Foram quatro dias em quatro diferentes espaços da contracultura, contada por quatro vozes femininas, de garotas que decidiram retomar um lugar para expressar-se. Em parte preto e branco super8, em parte de cor digital, o documentário Ladyfilmine mostra o Ladyfest Roma através de diferentes olhares.

27/03- Sessão temática Mulher e Mídia

Matando-nos Suavemente 4 – A imagem da mulher na propaganda
EUA.Duração: 45min
A diretora e pesquisadora Jean Kilbourne analisa a forma como diversos anúncios produzem ideais distorcidos e destrutivos de feminilidade. Seu filme, estruturado por uma de suas palestras, organiza uma diversidade de comerciais gráficos e televisivos visando a exposição dos padrões nocivos de estereótipos de gênero. As análises são feitas com base em imagens e mensagens que, reproduzidas à exaustão, reforçam percepções irreais e prejudiciais sobre beleza, perfeição e sexualidade. Trata-se de uma atualização da pesquisa de Kilbourne (o filme encontra-se em sua quarta edição) e seu objetivo é incitar o pensamento crítico referente à cultura popular e sua relação com machismo, distúrbios alimentares e violência de gênero.

28/03 – Sessão temática Libertárias

Louise-Michel. De Benoît Delépine e Gustave de Kervern. FRA, 2008. Duração: 1:34h.

Esticando o absurdo até ao limite do bom gosto, o filme aproveita o nome da anarquista francesa Louise Michel (1830-1905) para lançar o mote de caos e loucura anárquica desta comédia negra sobre a injustiça de um mundo laboral dominado pelos interesses (masculinos) das grandes corporações.Na região da Picardia, em França, um grupo de trabalhadoras de uma fábrica, após um despedimento sem qualquer aviso, decidem juntar as magras indemnizações num total de 20.000 euros para um projecto em comum, onde terão maiores probabilidades de sucesso. Numa sessão de brainstorming, onde é descartada a ideia de abrir uma pizzaria ou fazer um calendário de nus, a analfabeta e associal Louise (Yolande Moreau) sugere que se contrate um assassino a soldo para matar o patrão. Sem hesitação, todas concordam com a ideia.

29/03- Sessão temática Interseccionalidades

For colored girls. De Tyler Perry. EUA, 2011.

O longa é baseado na peça teatral de 1975 intitulada For Colored Girls: Who Have Considered Suicide When the Rainbow is Enuf. De autoria da americana Ntozake Shange, a peça mostra diversos poemas de mulheres sem nome, unidas apenas pela sua cor, que falam sobre amor, abandono, aborto, estupro, violência doméstica e outros problemas.

Anúncios

Cine Feminista 2012

Em Março o VLV fará a segunda edição do Cine Feminista, em breve mais informações!

PROGRAMAÇÃO

 

cartaz por Lila Cruz

ENTRADA GRATUITA
Sessões diárias às 17h e 19h
A Mostra “Cine Feminista” acontecerá em Salvador de 10 a 17 de março, em sessões diárias às 17h e 19h, na Sala Alexandre Robatto
(Biblioteca dos Barris). A mostra tem por objetivo trazer, através do cinema, o feminismo de volta à cena durante o mês de março,
período  no qual estamos  acostumadas a receber flores e  celebrar  nossas “conquistas”, como se  as lutas feministas já tivessem
atingido todos os seus  objetivos. A entrada é gratuita.

Dia 10 (quinta-feira):

Libertárias (Libertarias)

Em 18 de julho de 1936 o exército espanhol se rebela contra o Governo da República. Seis mulheres de origens e classes sociais diferentes se
organizam em um grupo de anarquistas para lutar, de igual para igual com os homens, contra as tropas nacionais. Uma freira que descobre a
solidariedade fora da fé, prostitutas, operárias e donas de casa, unidas para defender seus ideais políticos e, ao mesmo tempo, fazer entender a
seus companheiros as mudanças ideológicas e sociais pelas quais elas também almejam conquistar.
Diretor: Vicente Aranda / Duração: 121 minutos / Ano de Lançamento: 1996 / País de Origem: Espanha, Itália, Bélgica

Dia 11 (sexta-feira):

Virgina (Virdzina)

Nas montanhas de uma aldeia remota, nasce uma menina e seu pai aponta o rifle à sua cabeça pronto para matá-la. Um filme emocionante

sobre os costumes misóginos dos camponeses do século XIX na Iugoslávia. Naquele tempo, uma família com meninas e nenhum menino era

considerada amaldiçoada por Deus e se tornava socialmente desprezada.

Diretor: Srdjan Karanovic / País de Origem:  Iugoslávia / Gênero:  Drama / Tempo de Duração: 101 minutos / Ano de Lançamento:  1991

 

Dia 12 (sábado):

Moolaadé

Em um distante povoado africano, ligado apenas pelo rádio, o costume da mutilação genital feminina (a circuncisão) é temida por todas as garotas.
Seis delas, segundo a tradição, devem passar pelo ritual num determinado dia. Este é um dos passos para que elas conquistem um ótimo pretendente
e tenham um casamento bem sucedido. O pavor é tanto que duas afogam-se num poço. As outras quatro buscam a proteção de Collé, uma mulher
que não permitiu que sua filha fosse mutilada, invocando o “moolaadé” (proteção sagrada). O fato gera comoção e ganha adesão de mulheres e
simpatizantes contrários à mutilação.
Roteiro e Direção: Ousmane Sembene / Origem: Senegal, França, Burkina Faso, Camarões, Marrocos e Tunísia / Duração: 119 min /
Idioma: Bambara/Francês / Ano: 2004

Dia 13 (domingo):

Tirando o Véu (Unveiled)

Filme conta a história de uma fugitiva lésbica iraniana que tenta refúgio na Alemanha, mas com o pedido de asilo negado, ela passa a viver, trabalhar
e amar ilegalmente.
Gênero: Drama / Duração: 1h:35m / Produção: Alemanha, Áustria / Direção: Angelina Maccarone / Elenco: Jasmin Tabatabai, Navíd
Akhavan, Bernd Tauber, Majid Farahat, Georg Friedrich.

Dia 14 (segunda-feira):

Um Tiro para Andy Warhol (I shot Andy Warhol)

Nos anos 60, a radical feminista Valerie Solanas divulgou seu desprezo pelos homens através do seu Manifesto “Associação de Destruição
do Homem”.  Autora de um roteiro cinematográfico denominado Up Your Ass, ela entrega a única cópia da peça ao artista pop Andy Warhol e
pede para que o produza. Intrigado pelo título, Warhol fica com o roteiro para revisá-lo e se recusa a devolver a Solanas. A negativa do
Warhol abala os alicerces do seu movimento feminista de maneira inesperada e Solanas decide então partir para uma solução radical.
Lançamento: 1996 (EUA) / Direção: Mary Harron / Atores: Lili Taylor, Jared Harris, Martha Plimpton, Lothaire Bluteau. / Duração:
103 min / Gênero: Drama

Dia 15 (terça-feira):

Senhoritas em Uniforme (Mädchen in Uniform)

Mädchen in Uniform conta a história de Manuela, uma jovem de 14 anos que é posta num internato feminino pela sua tia distante e fria.
As residentes em Podstam são tipicas adolescentes e sente um grande sentido de união entre todas e o regime que é empregue naquele
internato é rigoroso, austero e sobretudo ausente de emoções. A contrabalançar este ambiente autoritarista, encontramos Fraulein von
Bernbur, uma professora por quem todas as alunas nutrem uma admiração especial e que é a favor de uma relação mais maternal com as alunas.
Manuela não é indiferente à sua professora e muito menos o contrário, porém ambas encontram-se num ambiente hostil, onde o formalismo e o
dever moral deve falar mais alto e então os sentimentos são geridos com silêncios, olhares e pequenos gestos…
Diretor: Leontine Sagan / Elenco: Emilia Unda, Dorothea Wieck, Herta Thiele, Hedwig Schlichter / Duração: 90 min. / Ano: 1931 /
País: Alemanha / Gênero: Romance / Cor: Preto e Branco
(Atenção: datas do vídeo não correspondem às datas da Mostra)

Dia 16 (Quarta-feira):

Itty Bitty Titty Committee (Turminha das Sapinhas de Tetinhas Pequeninas)

O segundo filme da diretora Jamie Babbit aborda um tema bastante raro nos filmes lésbicos, o ativismo político, mostrando o despertar da
personagem Anna (Melonie Diaz) para a realidade a seu redor, a partir de sua experiência como integrante de uma grupo radical feminista, chamado
C.(I).A. ou Clits In Action. Os conflitos de relacionamento e as ações políticas do grupo são mostrados com muito humor e música punk como pano
de fundo.
Diretora: Jamie Babbit / Duração: 86 minutos / Ano: 2007 / Gênero: Comédia/Drama/Romance

Dia 17 (quinta-feira):

Os Amantes do Café Flore (Les Amants du Flore)

O filme é baseado na história real de Simone de Beauvoir, escritora francesa. Mostra sua vida sentimental e sexual, cheia de encontros
(principalmente do café Flore) e desencontros, com direito à paixões paralelas, por isso o título “os amantes”.

Diretor: Ilan Duran-Cohen / Ano: 2006 / Duração: 104 minutos


 

Direção:  Debora Diniz Etnografia:  Debora Diniz Roteiro Etnográfico:  Debora Diniz e Ramon Navarro Direção de Produção:  Fabiana Paranhos Produção em Campo:  David Chalub